sexta-feira, 2 de maio de 2014

Festas móveis do calendário civil (1900-2100)

Clicar ao lado >>>

Construa um Calendário Permanente

Calendário Permanente disponibilizado para uso didático, não comercial, Os gabaritos originais, digitalizados foram projetados com o rigor exigido nas circunstancias e foram amplamente testados. O ofertante não se responsabiliza por erros milimétricos que possam ocorrer na copia dos mesmos. As figuras estão no padrão jpg. Clicar ao lado >>>

Três truques com a utilização do calendário

O primeiro truque poderá ser feito em qualquer ano; os outros também poderão ser efetuados em qualquer ano. No exemplo, foram utilizados os anos de 2011 e 2012. Experimente! É divertido; clicar ao lado >>>

Gere um calendário (vários países) sofisticado e completo

Clique ao lado para entrar >>> No site você encontrará várias informações uteis.

Calendário Universal

1- Fundamentos Registra-se que a idéia nasceu por volta de 1834, através de um sacerdote italiano, o abade Marco Mastrofini. A idéia básica, até simplista, foi tirar o 365 dia, da seqüência natural, tratando-o como um dia especial sem o respectivo dia da semana. Dessa forma, o calendário teria: Um ano de 364 dias, que se dividiria igualmente em 52 semanas de 7 dias cada. Sabe-se que o primeiro apoio substancial para esse calendário surgiu em 1910, através da Câmara Internacional do Comércio. Essa organização convenceu o governo Suíço a estimular a convocação de uma conferência mundial, visando a reforma do calendário. Em virtude da Primeira Guerra Mundial, esses planos caíram por terra. A World Calendar Association, de New York, elaborou um projeto o qual, no principio, foi aprovado tanto pela ONU como pelo Vaticano. Os procedimentos básicos do calendário Universal eram: 2- Sistema Operacional 12 meses em um ano, sendo 8 meses de 30 dias e 4 meses de 31 dias (364 dias); o ano, dividido em 4 trimestres, contendo cada um 91 dias. Em todo o trimestre, o primeiro mês teria 31 dias e os outros dois 30 dias cada. Todo o ano e todo o primeiro mês de cada trimestre, iniciar-se-ia em um domingo. Todos os segundos meses do trimestre em uma quarta-feira e o último mês de cada trimestre, em uma sexta-feira. Os meses teriam em média 26 dias úteis, excluindo-se os feriados que poderiam variar de país para país. As datas de cada mês cairiam sempre no mesmo dia da semana. O calendário Universal teria dois dias suplementares a saber: Primeiro:- Ano Normal Um dia complementar (365 dias) em cada ano civil, logo após o dia 30 de dezembro. Este seria na realidade um dia feriado, um extra-sábado, não computado nos dias da semana e poderia levar um nome como "Dia Mundial"; Segundo:- Nos chamados anos bissextos Nesses anos, teríamos um dia complementar (366 dias), ou, um outro extra-sábado, também sem fazer parte dos dias da semana, logo após o dia 30 de junho (outro feriado Universal). Todavia, independente do esforço para uma reformulação do calendário gregoriano, a sugestão não saiu do papel. 3- Demonstração do Calendário Universal
4- Outras tentativas (infrutíferas) de reformulações Após 1937, outro passo relevante foi dado em 1949, quando o Panamá, tentou, em vão, incluir na agenda das Nações Unidas, a pauta para a reformulação do calendário. Nenhuma das consideradas grandes potências apoiou esse intento. Alguns anos após, em 1953, a Índia propõe às Nações Unidas, adoção do Calendário Universal, com o apoio da França, Egito e o Uruguai. Estados Unidos e Grã-Bretanha foram derrotados, em votação, por 12 a 2. Posteriormente Rússia e Igreja Católica, manifestaram-se favoráveis a uma mudança. Infelizmente, os fatos parecem refletir uma nova e longa estagnação.

A reforma do calendário que não saiu!

Podemos afirmar que a primeira aplicação da Astronomia à vida dos homens, lá nos primórdios da civilização, foi a medida do tempo, a organização sistemática da sucessão interminável dos dias: o calendário. O calendário se foi formando com diferentes características nas diversas civilizações, e, conforme as necessidades de cada uma delas, foi sofrendo as transformações necessárias para mantê-lo de acordo com o que era exigido pelos astros, tornando-o cada vez mais perfeito, mais suscetível, de maior envergadura. Assim, reforma após reforma, conhecidas todas elas, chegou até os nossos dias com muitas falhas sistêmicas, as quais há muito necessitam de uma reforma ampla e transcendental. OS DEFEITOS DO CALENDÁRIO CIVIL (GREGORIANO) Sem aprofundarmos neste comentário introdutório, um deles é que, no Calendário Civil, praticamente utilizado no mundo todo, os meses, os trimestres e os semestres não têm o mesmo número de semanas, o que provoca deficiências nas operações de contabilidade , na formação dos custos e nas estatísticas. Enfim, uma análise mais pormenorizada será detalhada no transcorres das nossas páginas. UM CALENDÁRIO UNIVERSAL Como veremos com detalhes, o Calendário Universal já existe, e , o mais curioso, a Liga das Nações já se manifestou favoravelmente, com aprovação de alguns países membros, infelizmente sem ainda sair do papel. O Blog Hemerologia, após um amplo estudo, principalmente sistêmico, vê com simpatia uma reformulação do atual calendário civil, ou como também é conhecido, o calendário gregoriano.